quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Após depredação, Prefeitura estuda acabar com shows


Não importa a hora do dia, os bancos das praças são repletos de gente colocando a conversa em dia ou só esperando o tempo passar. Um dos principais símbolos da cidade, a Praça do Ferreira é referência para um momento de tranquilidade a qualquer hora do dia, em meio à correria do Centro.


De passagem rápida, a vendedora Albaniza Silva notou os problemas da praça. “Está tudo quebrado. É muito triste”. Já Rubens de Sousa está, diariamente, na praça há mais de um ano trabalhando em um bancas de revista da praça. Nos últimos dias, porém, ele diz que a situação do local tem se tornado preocupante. “A praça já estava feia, e piorou ainda mais”. O motivo, Rubens aponta, são os grandes eventos que ocorreram nos últimos dias. Na quinta e sexta-feira da semana passada, as bandas Calcinha Preta e Paralamas do Sucesso tocaram no local.


Buracos no piso, bancos quebrados e plantas danificadas são alguns dos problemas que a praça enfrenta. “Todo mundo que passa aqui reclama disso”, conta Rubens. Para ele, os grandes eventos, como os da semana passada, não deveriam ser realizados no local.Para Luan Oliveira, o problema já existia, mas foi agravado pelos últimos shows no local. Ele reclama do mau estado dos bancos e das pedras soltas pelo chão.


Na manhã de ontem, funcionários da Prefeitura começaram a recuperação do que foi danificado pelo evento. Segundo a Secretaria Executiva Regional do Centro (Sercefor), a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), que promoveu os shows de quinta e sexta-feira, será notificada pelos ocorrido. A intenção da Sercefor é que não sejam realizados eventos deste porte no local, por falta de estrutura.


Porém, Freitas Cordeiro, presidente da CDL, afirma que a praça ainda será procurada para realizar tais eventos. “A ocupação da praça é histórica. Não recebemos sinalização de que não haveria mais eventos lá, e não vejo como não utilizar, para o povo, um local que é tradicional”.


De acordo com Freitas, a CDL, em parceria com a Prefeitura, irá elaborar o orçamento da recuperação do local. Ele afirma que sempre há depredação decorrente de eventos como os da semana passada, em que mais de 60 mil pessoas foram reunidas. “Não houve nada excepcional. A praça é o local de receber esses eventos. Temos de adotar procedimentos para proteger melhor o patrimônio”.


ENTENDA A NOTÍCIA


Shows realizados quinta e sexta-feira, das bandas Calcinha Preta e Paralamas do Sucesso, atraíram um grande público para a Praça do Ferreira. Em decorrência, o espaço sofreu depredações em vários pontos.


Fonte: O POVO Online

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Conferência Internacional de Turismo

Quando: Evento começou ontem e se encerra hoje às 17h

Onde: Centro de Convenções do Ceará.

Tema: Turismo: desenvolvimento, inclusão social e integração regional

Programação: Blocos temáticos, painéis e encerramento discutindo social e economicamente

o setor turístico.

Outras informações:

www.setur.ce.gov.br

Turismo no Ceará terá R$ 1,3 bilhão em investimentos até 2014

Para investimentos em turismo até a Copa do Mundo, em 2014, o Ceará tem R$ 1,3 bilhão já garantidos. O valor representa em média 11% dos quase R$ 12 milhões que o estado terá para investir nas diversas áreas. Segundo o governador Cid Gomes, o recurso será utilizado para obras de infraestrutura, duplicação de estradas, construção de grandes empreendimentos, como o Centro de Eventos e o Acquário.

O recurso de R$ 1,3 bilhão é proveniente de diversas fontes. Parte do dinheiro é proveniente de recursos próprios e a outra parte advém de empréstimos. Serão US$ 400 milhões (em média R$ 740 milhões). Deste valor, US$ 150 milhões (em média R$ 277,5 milhões) são provenientes do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) somados a US$ 100 milhões (R$ 185 milhões) de contrapartida do Governo do Estado.


“O Ceará foi o primeiro estado brasileiro a conseguir o financiamento do Prodetur, além de ter o maior valor recebido”, destacou Cid. Será destinado US$ 1 bilhão para todo o País. O valor angariado pelo Ceará representa, portanto, 25% do montante.


Além disso, o governo angariou US$ 100 milhões (R$ 185 milhões) junto à Corporação Andina de Fomento (CAF) com contrapartida de US$ 50 milhões (R$ 92,5 milhões). Os números foram divulgados ontem durante a Conferência Internacional “Turismo: desenvolvimento, inclusão social e integração regional”, que prossegue até hoje no Centro de Convenções do Ceará.


Infraestrutura


Entre os grandes empreendimentos de infraestrutura do Estado, Cid Gomes destacou o Acquário Ceará com previsão de conclusão até o final de 2013. Para 2012, segundo o secretário de turismo do Estado, Bismarck Maia, estão previstos a entrega do Centro de Eventos, as obras da rodovia CE-040, o aeroporto de Aracati, além de terminar a pista de Jericoacoara e iniciar as obras do Acquário.


Além disso, há a previsão da estruturação de aeroportos nacionais de Aracati e Jericoacoara e regionais em Tauá, São Benedito e Camocim.


“São obras que vão mudar a história do turismo do Ceará. Qualquer uma delas isoladamente já mudaria, mas juntas elas vão dar uma nova forma de sustentação do turismo”, previu o secretário. Para o secretário geral da Organização Mundial de Turismo (OMT), Taleb Rifai, é importante diversificar o investimento no Estado. No entanto, o investimento em turismo é importante também por fomentar outros setores.


Segundo Rifai, são três os benefícios do investimento na área: infraestrutura, valorização da população local e desenvolvimento do destino turístico. “Há excelentes exemplos positivos em Barcelona e na África do Sul que, depois de Copas do Mundo, mudaram suas imagens e tiveram décadas de legado benéfico”, destacou.


Fonte: O POVO Online

Turismo no Ceará terá R$ 1,3 bilhão em investimentos até 2014

Para investimentos em turismo até a Copa do Mundo, em 2014, o Ceará tem R$ 1,3 bilhão já garantidos. O valor representa em média 11% dos quase R$ 12 milhões que o estado terá para investir nas diversas áreas. Segundo o governador Cid Gomes, o recurso será utilizado para obras de infraestrutura, duplicação de estradas, construção de grandes empreendimentos, como o Centro de Eventos e o Acquário.

O recurso de R$ 1,3 bilhão é proveniente de diversas fontes. Parte do dinheiro é proveniente de recursos próprios e a outra parte advém de empréstimos. Serão US$ 400 milhões (em média R$ 740 milhões). Deste valor, US$ 150 milhões (em média R$ 277,5 milhões) são provenientes do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) somados a US$ 100 milhões (R$ 185 milhões) de contrapartida do Governo do Estado.


“O Ceará foi o primeiro estado brasileiro a conseguir o financiamento do Prodetur, além de ter o maior valor recebido”, destacou Cid. Será destinado US$ 1 bilhão para todo o País. O valor angariado pelo Ceará representa, portanto, 25% do montante.


Além disso, o governo angariou US$ 100 milhões (R$ 185 milhões) junto à Corporação Andina de Fomento (CAF) com contrapartida de US$ 50 milhões (R$ 92,5 milhões). Os números foram divulgados ontem durante a Conferência Internacional “Turismo: desenvolvimento, inclusão social e integração regional”, que prossegue até hoje no Centro de Convenções do Ceará.


Infraestrutura


Entre os grandes empreendimentos de infraestrutura do Estado, Cid Gomes destacou o Acquário Ceará com previsão de conclusão até o final de 2013. Para 2012, segundo o secretário de turismo do Estado, Bismarck Maia, estão previstos a entrega do Centro de Eventos, as obras da rodovia CE-040, o aeroporto de Aracati, além de terminar a pista de Jericoacoara e iniciar as obras do Acquário.


Além disso, há a previsão da estruturação de aeroportos nacionais de Aracati e Jericoacoara e regionais em Tauá, São Benedito e Camocim.


“São obras que vão mudar a história do turismo do Ceará. Qualquer uma delas isoladamente já mudaria, mas juntas elas vão dar uma nova forma de sustentação do turismo”, previu o secretário. Para o secretário geral da Organização Mundial de Turismo (OMT), Taleb Rifai, é importante diversificar o investimento no Estado. No entanto, o investimento em turismo é importante também por fomentar outros setores.


Segundo Rifai, são três os benefícios do investimento na área: infraestrutura, valorização da população local e desenvolvimento do destino turístico. “Há excelentes exemplos positivos em Barcelona e na África do Sul que, depois de Copas do Mundo, mudaram suas imagens e tiveram décadas de legado benéfico”, destacou.


Fonte: O POVO Online

Oposição questiona pedido de urgência para Operação Consorciada do Papicu

O Vereador Vitor Valim (PMDB) criticou , nesta manhã de terça-feira, no plenário da Câmara Municipal, o pedido de urgência da Prefeitura para a apreciação da Operação Consorciada “Lagoa do Papicu”. Para ele,”não há argumentos ténicos para esse pedido de urgência.”

A proposta da prefeitura gera polêmica na Casa, com críticas da oposição e de setores da própria base aliada. Houve apelo para que a tramitação da matéria ocorra em regime normal, ser a urgêncdia solicitada pelo Executivo. O próprio Vitor Valim havia qustionado a matéria, na última quinta-feira. O projeto prevê a construção de um shopping do Grupo pernambucano JCPM.

O vereador Plácido Filho (PDT) também criticou a postura do Executivo, alertando que com “essa medida a Prefeitura está negando o direito do bom debate. É preciso discutir essa proposta e suas consequências nas comunidades em torno da Lagoa do Papicu”, disse. Para ele, “é muito estranho essa insistência da Prefeitura. A quem interessa essa urgência?”, questiona.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

“Gestão do Turismo: Passado, presente e futuro”: hora de rever conceitos

Diagnosticar a qualidade das ações indutoras que o Poder Público implementa em determinados setores da economia, muitas vezes, não é tarefa muito complexa. Na cadeia produtiva do Turismo basta olhar os agregados turísticos contabilizados ao longo do tempo por Governos e Institutos de Pesquisa. Ministério do Turismo, INFRAERO, FGV e Consultorias especializadas acompanham, com ferramentas de aferição bastante seguras, as variações sofridas pelo segmento, seja por forças de mercado, seja por força das políticas públicas adotadas. Essas duas forças possuem a capacidade de acelerar, ou não, a obtenção dos resultados perseguidos. Neste sentido, faz todo o sentido afastar-se de análises inferenciais e observar indicadores como Fluxos Turísticos Nacionais e Internacional, Receita e Renda Turística, Investimentos Diretos, Impactos sobre o PIB, Interiorização de Fluxos Turísticos, apenas para citar alguns indispensáveis no painel de controle dos Gestores Públicos.

Com exceção da Bahia, somente em tempos recentes os Estados do Nordeste do Brasil passaram a incorporar o Turismo, nossa mais clara vocação econômica, como um motor a auxiliar nos esforços de geração de postos de trabalho e de desenvolvimento econômico. Historicamente, as diretrizes eleitas pela grande maioria dos Estados Nordestinos contemplavam a dupla representada pela Industrialização e pelo Agronegócio. A infra-estrutura era planejada e dimensionada muito mais para atender a essa dupla que para pavimentar o futuro da atividade turística. Contudo, a vocação natural dessa atividade é tão forte que, mesmo ignorada por planejadores e orçamentadores de Governos Estaduais, cresceu muito mais que os setores classificados como prioritários. A massa de trabalho e inclusão social originada pelos não residentes (turistas) foi tão acachapante que fez acordar outros níveis de Governo. Planejamentos Estratégicos para o segmento pipocaram no Nordeste, contudo, sem orçamento para implementá-los, os resultados continuaram, na média, ainda muito reduzidos diante do potencial. O Turismo passou a ser uma prioridade não expressada nos Orçamentos Públicos, mas apenas na retórica dos discursos das Secretarias de Turismo, que, isoladas, não conseguiam mobilizar os governadores para destacar a matéria na Agenda de Governo.

Registre-se que alguns Estados, como o Ceará, passaram a cumprir uma consistente agenda de infraestruturação dos seus pólos, roteiros e regiões turísticas. Nos últimos cinco anos, o atual governador do Estado decidiu materializar obras estruturantes para o futuro do Destino Ceará, a exemplo do que fez o ex–governador César Cals quando construiu, há mais de 30 anos, equipamentos como e Centro de Convenções, Bondinho de Ubajara e a antiga EMCETUR, para citar alguns. O governador Cid Gomes já está na galeria dos notáveis, pelas relevantes obras que poderão alavancar a economia do Turismo no Estado. O respeitável novo Centro de Feiras e Eventos, os aeroportos regionais de Aracati e Jericoacoara, as duplicações das rodovias estaduais e da avenida Maestro Lisboa associadas ao futuro Aquário e a ampliação do Aeroporto Pinto Martins serão um legado que o credenciará a ser reconhecido por todo e qualquer estruturador de produtos e destinos turísticos.

Na contra–mão da elogiável Agenda de Infraestruturação, está a Agenda Mercadológica. Nesses mesmos cinco anos, os desembarques internacionais recuaram 28% contra crescimento de 24% do vizinho Pernambuco. No desembarque nacional, crescemos 53% contra 80% do também vizinho Rio Grande do Norte. Nenhum novo hotel se instalou em Fortaleza nesse mesmo período. Sem demanda a oferta não se apresenta. Os resorts dos municípios praianos vizinhos a Capital, nomeadamente o Aquiraz Riviera – com o Dom Pedro Laguna, e o Villa Galé Cumbuco são investimentos captados no passado que já estavam em estágio de irreversibilidade. Agências de Viagens e Receptivos que comercializavam 10, 12 e até 14 roteiros dentro do Ceará, além de Fortaleza, hoje operam em, no máximo cinco ou seis roteiros. Isso significa que o turista não está mais circulando no Estado, ficando restrito ao surrado modelo sol e praia e nada mais. Nosso trade turístico, com contas a pagar no curto prazo, observa curioso essa dicotomia entre a Agenda Mercadológica e a Agenda de Obras Públicas considerando que as duas não precisam ser mutuamente excludentes.

Não esperemos que a exposição global que uma cidade sede de jogos da Copa do Mundo obtém, seja capaz de resolver, por osmose, nossa deficiência estrutural de comercializar nosso destino e provar para o capital privado que somos viáveis econômica e financeiramente. Isso, daqui a dois anos e meio, quando mencionada exposição estará na sua fase mais aguda. É chegado o tempo de voltarmos a formular novos conceitos, debater e inaugurar um novo modelo de desenvolvimento econômico que seja capaz de diferenciar o Ceará dos demais lutadores que estão apresentando seus músculos e habilidades no Octógono das vantagens locacionais comparativas.

*Allan Aguiar, Consultor, foi Secretário do Turismo do Ceará e de Pernambuco.

“Gestão do Turismo: Passado, presente e futuro”: hora de rever conceitos

Diagnosticar a qualidade das ações indutoras que o Poder Público implementa em determinados setores da economia, muitas vezes, não é tarefa muito complexa. Na cadeia produtiva do Turismo basta olhar os agregados turísticos contabilizados ao longo do tempo por Governos e Institutos de Pesquisa. Ministério do Turismo, INFRAERO, FGV e Consultorias especializadas acompanham, com ferramentas de aferição bastante seguras, as variações sofridas pelo segmento, seja por forças de mercado, seja por força das políticas públicas adotadas. Essas duas forças possuem a capacidade de acelerar, ou não, a obtenção dos resultados perseguidos. Neste sentido, faz todo o sentido afastar-se de análises inferenciais e observar indicadores como Fluxos Turísticos Nacionais e Internacional, Receita e Renda Turística, Investimentos Diretos, Impactos sobre o PIB, Interiorização de Fluxos Turísticos, apenas para citar alguns indispensáveis no painel de controle dos Gestores Públicos.

Com exceção da Bahia, somente em tempos recentes os Estados do Nordeste do Brasil passaram a incorporar o Turismo, nossa mais clara vocação econômica, como um motor a auxiliar nos esforços de geração de postos de trabalho e de desenvolvimento econômico. Historicamente, as diretrizes eleitas pela grande maioria dos Estados Nordestinos contemplavam a dupla representada pela Industrialização e pelo Agronegócio. A infra-estrutura era planejada e dimensionada muito mais para atender a essa dupla que para pavimentar o futuro da atividade turística. Contudo, a vocação natural dessa atividade é tão forte que, mesmo ignorada por planejadores e orçamentadores de Governos Estaduais, cresceu muito mais que os setores classificados como prioritários. A massa de trabalho e inclusão social originada pelos não residentes (turistas) foi tão acachapante que fez acordar outros níveis de Governo. Planejamentos Estratégicos para o segmento pipocaram no Nordeste, contudo, sem orçamento para implementá-los, os resultados continuaram, na média, ainda muito reduzidos diante do potencial. O Turismo passou a ser uma prioridade não expressada nos Orçamentos Públicos, mas apenas na retórica dos discursos das Secretarias de Turismo, que, isoladas, não conseguiam mobilizar os governadores para destacar a matéria na Agenda de Governo.

Registre-se que alguns Estados, como o Ceará, passaram a cumprir uma consistente agenda de infraestruturação dos seus pólos, roteiros e regiões turísticas. Nos últimos cinco anos, o atual governador do Estado decidiu materializar obras estruturantes para o futuro do Destino Ceará, a exemplo do que fez o ex–governador César Cals quando construiu, há mais de 30 anos, equipamentos como e Centro de Convenções, Bondinho de Ubajara e a antiga EMCETUR, para citar alguns. O governador Cid Gomes já está na galeria dos notáveis, pelas relevantes obras que poderão alavancar a economia do Turismo no Estado. O respeitável novo Centro de Feiras e Eventos, os aeroportos regionais de Aracati e Jericoacoara, as duplicações das rodovias estaduais e da avenida Maestro Lisboa associadas ao futuro Aquário e a ampliação do Aeroporto Pinto Martins serão um legado que o credenciará a ser reconhecido por todo e qualquer estruturador de produtos e destinos turísticos.

Na contra–mão da elogiável Agenda de Infraestruturação, está a Agenda Mercadológica. Nesses mesmos cinco anos, os desembarques internacionais recuaram 28% contra crescimento de 24% do vizinho Pernambuco. No desembarque nacional, crescemos 53% contra 80% do também vizinho Rio Grande do Norte. Nenhum novo hotel se instalou em Fortaleza nesse mesmo período. Sem demanda a oferta não se apresenta. Os resorts dos municípios praianos vizinhos a Capital, nomeadamente o Aquiraz Riviera – com o Dom Pedro Laguna, e o Villa Galé Cumbuco são investimentos captados no passado que já estavam em estágio de irreversibilidade. Agências de Viagens e Receptivos que comercializavam 10, 12 e até 14 roteiros dentro do Ceará, além de Fortaleza, hoje operam em, no máximo cinco ou seis roteiros. Isso significa que o turista não está mais circulando no Estado, ficando restrito ao surrado modelo sol e praia e nada mais. Nosso trade turístico, com contas a pagar no curto prazo, observa curioso essa dicotomia entre a Agenda Mercadológica e a Agenda de Obras Públicas considerando que as duas não precisam ser mutuamente excludentes.

Não esperemos que a exposição global que uma cidade sede de jogos da Copa do Mundo obtém, seja capaz de resolver, por osmose, nossa deficiência estrutural de comercializar nosso destino e provar para o capital privado que somos viáveis econômica e financeiramente. Isso, daqui a dois anos e meio, quando mencionada exposição estará na sua fase mais aguda. É chegado o tempo de voltarmos a formular novos conceitos, debater e inaugurar um novo modelo de desenvolvimento econômico que seja capaz de diferenciar o Ceará dos demais lutadores que estão apresentando seus músculos e habilidades no Octógono das vantagens locacionais comparativas.

*Allan Aguiar, Consultor, foi Secretário do Turismo do Ceará e de Pernambuco.

domingo, 27 de novembro de 2011

Gentileza urbana: Júri define os 5 vencedores

Cinco iniciativas foram escolhidas, no fim da manhã de ontem, como as vencedoras do VI Prêmio IAB Gentileza Urbana 2011. A comenda é dada a ações e/ou projetos executados de forma espontânea pela iniciativa privada a fim de reconhecer práticas que colaboram com a melhoria da qualidade de vida das cidades e estimulam métodos cidadãos de convivência.

A postura da família Martins, de pintar o muro da Praça dos Leões, no Centro de Fortaleza, por conta própria. foi um dos destaques. Pichado logo após ser revitalizado, em agosto, o equipamento foi resgatado pela família.


A campanha “Eu faço o trânsito leve”, da AD2M Engenharia de Comunicação, em prol de boas condutas dos motoristas dentro e fora do carro, foi outra escolhida. O projeto Onda do Bem, que trabalha com jovens da Praia do Titanzinho, na Capital, também foi eleito vencedor, ao lado do acervo fotográfico do historiador Nirez sobre Fortaleza em décadas passadas.


A Praça Oficina do Senhor, “ocupada” por moradores do Cocó para a realização de atividades esportivo-culturais, foi mais uma selecionada.


Os ganhadores saíram de um grupo de 25 inscritos, dos quais cinco foram excluídos por serem iniciativas do setor público. Promotor e idealizador do Prêmio, o departamento cearense do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-CE) entende ser obrigação dos gestores ocupantes de cargos eletivos o zelo pelos centros urbanos. A classificação geral (com um primeiro lugar e quatro menções honrosas), porém, só será divulgada na terça-feira, 29


O júri foi composto pela professora de psicologia ambiental da Unifor, Sylvia Cavalcante; pelo jornalista do O POVO, Ruy Lima; pelo advogado Renato Roseno; pela jornalista do Diário do Nordeste, Maristela Crispim; e pela chefe da equipe de planejamento da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semam), Edilene Oliveira.


SERVIÇO

Entrega do VI Prêmio IAB Gentileza Urbana 2011.

Dia 29/11

Horário: 20 horas

Local: Ideal Clube - avenida Monsenhor Tabosa, 1381 - Meireles.

Informações: 3401.5216

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O Turismo como indutor do desenvolvimento e integração regional

O Turismo como Indutor do Desenvolvimento, da Inclusão Social e da Integração Regional é o tema do evento será aberto às 9 horas da próxima segunda-feira, no Centro de Convenções, e reunirá, durante dois dias, especialistas nas áreas financeira e de turismo, além de representantes de governos e de organismos internacionais

Participam também da abertura da conferência o governador do Ceará, Cid Gomes, o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, o secretário-geral da Organização Mundial de Turismo, Taleb Rifai, entre outras autoridades nacionais e internacionais.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima/ O POVO Online

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Os desafios da ADECE e do Pecém

Há problemas a superar para que se acelere a realização do sonho de implantação do chamado Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). Um deles - mencionado pelo presidente da ADECE, Roberto Smith, na última reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Cede) - é a falta de definição do modelo de uso do solo na geografia do CIPP.

De acordo com o que disse Smith, "há grandes empresas interessadas em implantar-se no Pecém, mas só o farão quando isso estiver definido". Uma dessas empresas tem sede nos Estados Unidos e seu desejo - revelado pelo presidente da ADECE - envolve vários negócios, um dos quais tem a ver com a própria gestão do CIPP. "Eles têm interesse em administrar o complexo", foi o que revelou Roberto Smith aos seus pares do Cede.

Mas ele foi além. Confessou que há um claro desentrosamento entre os organismos do Governo, "e isso faz com que os investidores saiam batendo de porta em porta para tratar dos mesmos assuntos". Como se vê, há muito trabalho à espera da ADECE, cuja diretoria, infelizmente, ainda não está completa. Roberto Smith já propôs ao governador a criação de uma diretoria administrativa e financeira para tratar de sua gestão interna e para cuidar do seu patrimônio, que hoje ainda se encontra sob domínio da antiga e inativa CODECE. E a ADECE também não tem - e isto é incrível, mas real - um quadro de pessoal.

Fonte: Coluna do Edígio Serpa/ Diário do Nordeste Online

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Expert em supermercados em Fortaleza

Nesta quarta-feira, a partir das 19 horas, Enrique Barreira Fernandez, considerado um dos melhores arquitetos em matéria de projetos de supermercados e hipermercados do País, dará palestra na sede da Federação das Câmara de Dirigentes Lojistas (FCDL).

Ele vai expor sua experiência no ramo para arquitetos, alunos de arquitetura e empresários da área de supermercados. Enrique Barreira Fernandez é premiado internacionalmente.

Também durante a palestra, Waldevir Guerra falará sobe mix de departamentalização em lojas de supermercados, enquanto Ivair Lúcio Soares abordará como economizar energia em refrigeração alimentar.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

domingo, 20 de novembro de 2011

Fábio Campos: A cidade real

Três áreas da cidade simbolizam bem a forma como se concretiza o (des) ordenamento urbano em Fortaleza: Centro, Praia de Iracema e Beira Mar. O primeiro caso foi abordado aqui no último domingo. Vamos agora ao litoral.


Felizmente, a Beira Mar e a Praia de Iracema conseguiram se livrar do Fortal, o evento que, durante anos, privatizava a área durante cinco dias. Mas, outros problemas similares surgiram.


O problema é que não há um conjunto de regras públicas, transparentes e baseadas em critérios técnicos e urbanos para definir a dimensão e em que circunstâncias o aterro de Iracema e a avenida Beira Mar podem receber grandes eventos.


É o caso de um evento católico denominado de “Evangelizar”, que ocorreu recentemente na Praia de Iracema. Estima-se que a área tenha recebido um milhão de pessoas para ouvir o “catecismo” e as músicas do padre Reginaldo Manzotti, o mega-estar das canções católicas.


Ao contrário do Réveillon, uma festa pública e realizada em um momento especial, a coisa lá ocorre durante um dia inteiro. O barulho estarrecedor expulsa os moradores que têm seu final de semana caseiro e o direito ao descanso usurpados.


No entorno do aterro, um mundo de irregularidades: calçadas tomadas, comércio ilegal, barracas imundas. Caos no trânsito. No dia seguinte, o contribuinte coça os bolsos para recolher toneladas de lixo.


Além da limpeza, o cidadão, religioso ou ateu, paga o serviço extra pela mobilização de centenas de policiais, guardas municipais e serviços de saúde. Um registro: é evidente que se a Igreja Católica tem o direito de fazer esse evento qualquer outra também pode exercê-lo. Então, imaginem que o problema só tende a piorar.


O aterro da Praia de Iracema é um ótimo local da cidade para eventos, mas é preciso uma política urbana para tal. Eventos esportivos, como campeonatos de vôlei de praia e afins, são os ideais. Pequenos e com repercussão nacional que interessa à cidade como destino turístico.


Mais uma vez, devemos chamar a atenção para um fato: as eleições vêm aí. É a hora ideal de colocar os temas urbanos reais em pauta. Os candidatos não gostam. Temem perder votos e só falam fru-frus a respeito. Lançam mão de superficialidades sobre educação, saúde e transporte e esquecem a cidade real.


Fonte: Coluna do Fábio Campos/ O POVO Online

sábado, 19 de novembro de 2011

Altura de calçada tem provocado quedas em pedestres na Praça José de Alencar

Duas a três pessoas caem todo dia quando tentam atravessar o cruzamento das ruas General Sampaio com Liberato Barroso, no Centro, ao lado do Theatro José de Alencar. O alerta é de um grupo de mototaxistas, que faz parada em frente à praça.

Segundo os mototaxistas, a grande altura da calçada da praça José de Alencar, com cerca de 40 centímetros, é o principal motivo das quedas. O maior número de vítimas é de pessoas obesas ou da terceira idade.

De acordo ainda com os mototaxistas, comerciantes e pedestres já solicitaram aos fiscais da Prefeitura uma redução na altura do calçadão da praça. Mas há anos aguardam a obra.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Dr.Gero Hillmer com o Secretário das Cidades

O Prof. Dr. Gero Hillmer/ Universität Hamburg, uma das maiores autoridades em pesquisa paleontológica da Alemanha, teve hoje um encontro especial com o Secretário de Estado das Cidades Camilo Santana. Hillmer, que foi o criador do conceito do Geopark Araripe e posteriormente ajudou em seu credenciamento pela UNESCO e inserção na Rede Mundial de Geoparks veio tratar de ações de um futuro Convenio de Cooperação entre o Senckenberg Institute/ Alemanha - Naturmuseum Frankfurt/ Museum Görlitz/ Museum Dresden - e a UFC/ Universidade Federal do Ceará para implantação de um Centro de Pesquisas do Araripe, com apoio do DAAD/ Serviço de Intercambio Acadêmico.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Roberto Galvão é homenageado em livro

O artista plástico cearense Roberto Galvão virou mote para livro a ser lançado na sexta-feira, às 20 horas, dentro da Casa Cor, na Praia de Iracema. O autor é o espanhol Fernando Lara, que sempre leva exposições de artistas cearenses para a Europa. Fernando Lara fala sobre o livro intitulado “Roberto Galvão Olhares”.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Terreiradas do Cariri


As terreiradas é o que podemos chamar de um estreitamento entre os mestres e seus seguidores, onde os mesmos abrem suas portas para que possamos conviver com seu jeito simples, mas sofisticado de tradições culturais.A panela no fogão a lenha, muita iguaria de milho, sucos naturais, muita conversa boa pra se pitar um velho e bondoso cigarro de palha da mais fina tabacaria que é a folha do fumo mascado da flora chapada do Araripe...Bendito sejam os mestres e suas tradições!

Fonte e imagem: Wilson Bernardo

Amazônia e as Cataratas do Iguaçu entre as sete maravilhas naturais do mundo

O site New Seven Wonders divulgou o resultado da eleição que elegeu as Sete Novas Maravilhas Naturais do mundo. Entre elas, estão a Amazonia e as Cataratas do Iguaçu. Só falta agora a consciência nacional colocar na ordem do dia, que preservar e proteger tem que ser medidas obrigatórias em relação as mesmas em nosso país.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Aos domingos, feira provoca caos no trânsito do bairro

A Rua Coronel Francisco Pereira é palco de disputa por espaço entre pedestres, vendedores ambulantes e veículos. Todo domingo, calçadas e parte do asfalto são tomados pela tradicional Feira da Messejana. Comerciantes sugerem mudanças. A Prefeitura como sempre diz que vai estudar o caso e "empurra com a barriga" o problema e a solução.

sábado, 12 de novembro de 2011

Em pleno verde

Este ano o Encontro Intercontinental sobre a Natureza proporcionará uma reunião a mais: será da arte com o meio ambiente. A abertura do evento está programada para o Parque Ecológico do Cocó, dia 21, das 19 às 21 hs, com shows musicais, dança e teatro com temático ambiental, exposições e mostras fotográficas.

Fonte: Coluna Comunicado/ Diário do Nordeste

O ambiente no centro do debate


Fortaleza será sede ainda neste mês de novembro do Encontro Intercontinental sobre a Natureza - O2, promovido pel organização não governamental Instituto Hidroambiental de Águas do Brasil. O evento entra em sua quinta edição e estima a participação de cerca de 10 mil pessoas em debates, seminários e mesas redondas - de 21 a 27 próximos - sobre experiências bem sucedidas, trabalhos cientificos e alternativas de manejo geoecológico. O O2 será realizado no Centro de Convenções Edson Queiroz.

Fonte: Coluna Comunicado/ Diário do Nordeste. Imagem da Amazonia, fotografia Rafael Pinto. Direitos autorais preservados.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Blues com Solidariedade

Jefferson Gonçalves e banda, no Anfiteatro do Dragão do Mar, na Praia de Iracema, em Blues com Solidariedade, uma audição beneficente para o IPREDE. Domingo, dia 20/ Novembro, às 19hs. Uma produção de Sipò Eventos. Vale a pena conferir.


Encontro inesperado no Castelão

Um encontro inesperado ocorreu, na manhã desta sexta-feira, durante a entrega da primeira etapa das obras de reforma do Estádio Castelão, em Fortaleza. O ex-governador Tasso Jereissati (PSDB) ali apareceu, tendo ao lado o cantor Raimundo Fagner.

Tasso Jereissati e Cid Gomes trocaram cumprimentos formais. Nada mais do que isso, embora num clima de troca de sorrisos.

Ambos estão politicamente afastados desde a última campanha eleitoral em que o tucano acabou derrotado em seu propósito de se reeleger para o Senado.

Esse momento acabou sendo o fato político mais comentado na ocasião, que reuniu o ministro Aldo Rebelo (Esporte), e a cúpula da Galvão Engenharia – responsável pelas obras, além dos senadores Eunício Oliveira (PMDB) e Inácio Arruda (PCdoB), o presidente da Assembleia, Roberto Cláudio (PSB), os presidentes do TCE, Valdomiro Távora, e Manuel Veras, do TCM, Valmir Campelo, do TCU, VirgilioElísio, representante da CBF, e o presidente da FCF, Mauro Carmélio, além de dirigentes de clubes de futebol.

DETALHE - Tasso e Fagner não permaneceram até o final da solenidade, mas ficaram no descerramento de placas. Tasso foi quem iniciou a reforma do Castelão e Fagner descerrou placa em homenagm ao seu irmão, o presidente falecido da FCF, Fares Lopes.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima/ O POVO


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Alemães negociam compra de fabricante cearense de trens


Companhia brasileira projetou e construiu as composições do Metrô do Cariri, que ligam Juazeiro do Norte ao Crato.

A alemã Vossloh está negociando a compra do controle da Bom Sinal, fabricante cearense de VLTs (nome dado aos bondes modernos). A informação foi confirmada por Olivier Dereudre, diretor dos escritórios da Vossloh no Brasil e na Argentina.

Sediada em Barbalha (CE), no sertão cearense, a Bom Sinal é a fornecedora dos trens usados no Metrô do Cariri, que liga Juazeiro do Norte ao Crato, e de Maceió, que cobre o trecho entre a capital alagoana a Lourenço de Albuquerque, na vizinha Rio Largo.

A empresa tem ainda em carteira trens para o ramal Parangaba-Mucuripe, do Metrô de Fortaleza, que deverão circular até a Copa de 2014; para o Metrô de Sobral (CE), com previsão de conclusão no ano que vem, e para Arapiraca (AL), Macaé (RJ) e Recife (PE).

Na avaliação de Dereudre, a venda seria a oportunidade de a empresa brasileira ter acesso a novas tecnologias de forma rápida e ganhar musculatura financeira para investir e brigar por projetos maiores no país. Para a Vossloh, significaria a entrada no Brasil com produção local e contratos em andamento, em um momento em que enfrenta queda no volume de vendas em nível global. Dereudre, porém, não fala em prazos e valores para a concretização do negócio.

Nova frente

O desembarque no Brasil soa como um bom negócio para os alemães, que além de trens para passageiros e locomotivas de carga, fabricam ônibus elétricos e equipamentos de infraestrutura ferroviária, como sistemas de sinalização. Mundialmente, no acumulado de janeiro a setembro, a companhia vendeu € 860 milhões de euros, 15% abaixo do mesmo período de 2010.

Em seu último balanço trimestral, a Vossloh atribui a queda no desempenho principalmente a quebra de expectativa em mercados do Sul da Europa, como Espanha e Itália, e na China. Em toda a Europa, as vendas tiveram queda de 12,8% no período, para € 614 milhões.

Neste cenário, as Américas surgem como promessa. No ano, a região representou apenas 8,3% das vendas da Vossloh, em uma conta que inclui principalmente vendas nos EUA. Países como o Brasil são terreno virgem, com perspectivas bastante positivas. Dirigentes de entidades e executivos do setor estimam que só o mercado de trens regionais, em fase de retomada de projetos, poderá significar contratos de R$ 1,5 bilhão em trens, sem contar obras civis e sinalização.

Integração

Mas outros fatores animam Dereudre. Além de interesses complementares, as duas empresas adotam e desenvolvem tecnologias similares. Ambas fabricam VLTs movidos a diesel ou diesel-elétricos, para bitola métrica, o que poderia contribuir para uma eventual integração.

A bitola é a distancia entre a parte interna dos trilhos das estradas de trem. No Brasil, há dois tipos comuns. A irlandesa (larga), de 1,6 metros, usada nas em linhas de transporte de carga, e a métrica, de um metro, que predomina na malha brasileira e em um conjunto de 14 trechos que o Governo Federal pretende reativar nos próximos anos para incentivar o transporte ferroviário regional.

Por isso, a escolha do padrão métrico pode se tornar um trunfo, caso os projetos sejam licitados prevendo a manutenção da distância entre os trilhos. Alstom, Bombardier e Siemens, líderes do setor, não o utilizam. Preocupadas em desenvolver projetos de trens que possam ser vendidos ao maior número de mercados possíveis sem adaptações estruturais significativas, as três grandes fabricantes adotam prioritariamente a bitola internacional, de 1,435 metros, a mais comum na Europa e no restante do mundo. A briga pelos projetos, nesse caso, se restringiria a concorrentes um pouco menores, como a espanhola CAF e os italianos da Talgo. Bem mais ao gosto dos alemães e cearenses.

Procurada, a Bom Sinal não retornou a solicitação de entrevista.

Fonte: Portal IG

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Acquario do Ceará, um projeto sem estacionamento?

As obras do Acquario do Ceará, na Praia de Iracema, saíram do virtual e já começaram. Mas há um problema, segundo informação do jornalista Egídio Serpa, com quem nos encontramos nessa quarta-feira por ocasião do lançamento do Shopping Grão-Pará, da Calila Participações: o projeto não inclui estacionamento. Será que tal erro primário essa turma cometeu? Que a Secretaria do Turismo do Estado dirima tal dúvida.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

Presidente do TJ suspende decisão de juiz que permitia construção em área do Cocó

O Presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Arizio Lopes, acaba de suspender a decisão do juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública, Francisco das Chagas Barreto Alves, que permitira construção em terreno situado no Parque do Cocó, mais precisamente em Área de Relevante Inrtresse Ecológico (ARIE).

Ele atendeu a um recurso da Procuradoria Geral do Município (PGM). Com isso, fica suspensa a medida tomada pelo juiz até o trânsito em julgado da decisão.

Segundo a PGM,em um primeiro momento, a decisão de liberar a área para construções contraria a lei municipal 9.502/2009, de autoria do vereador João Alfredo (PSOL), que há pouco mais de dois anos criou a Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) nas Dunas do Cocó. A lei proíbe construções, interferências e intervenções que modifiquem o meio ambiente.

O despacho do juiz atendeu a uma ação civil pública da Associação Cearense dos Empresários da Construção e Loteadores (Acecol), solicitando que a prefeitura acatasse o traçado urbanístico relativo ao loteamento Jardim Fortaleza. Para o juiz, a lei municipal “é inconstitucional”

Fonte: Blog do Eliomar de Lima

Movimento Pró Dunas do Cocó

Hoje, dia 9, às 14 horas, na Camara Municipal, reunião da Comissão do Plano Diretor, para verificação da adequabilidade das emendas da Vereadora Magaly Marques, que revoga a lei de proteção da Área de Relevante Interesse Ecológico das Dunas do Cocó - ARIE Dunas do Cocó - e a emenda do Vereador Carlos Mesquita que transforma terrenos situados no entorno do Parque do Cocó de ZRA (Zona de Recuperação Ambiental) em ZOC (Zona de Ocupação Consolidada) o que permitiria a construção de mais edifícios quase dentro do Parque.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

PEHIS/ Plano Estadual da Habitação de Interesse Social

A Secretaria estadual das Cidades apresentará, às 9 horas desta terça-feira, no Magna Hotel, em Fortaleza, o Plano Estadual de Habitação de Interesse Social (PEHIS). O plano foi elaborado para diagnosticar a situação habitacional no Estado e será apresentado aos prefeitos dos municípios que integram a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O Plano fornecerá as orientações e diretrizes para o planejamento do setor habitacional local, tanto na área urbana quanto rural, com foco especial na habitação de interesse social.

“Isso facilita o planejamento para sabermos exatamente onde iremos aplicar os recursos adquiridos, bem como requalificar habitações precárias existentes, e também identificar que tipo de moradia as pessoas desejam e como será feito o acesso a esta moradia”, explica Camilo Santana.

Camilo acrescenta que o PEHIS serve como facilitador na alocação de recursos para novas construções, requalificação de domicílios já existentes, porém precários e manutenção de áreas de lazer. “De posse destas informações do PEHIS, com a participação da população, se apontam os caminhos para os municípios proporem, incentivarem e executarem ações que venham a melhorar a vida de seus moradores” , acentua o secretário das Cidades.

Fonte: Blog do Eliomar de Lima