segunda-feira, 30 de março de 2009

Chuvas modificam a paisagem do Cocó

Quando a chuva é mais forte, algumas trilhas do Parque Ecológico do Cocó ficam inundadas, especialmente a principal, localizada entre o rio e a lagoa. Reportagem da Jornalista Mariana Toniatti para o Jornal O POVO, com data de hoje.

Confira:

O arquiteto Ricardo Braga, 45, leva um susto ao ver a trilha principal do Parque Ecológico do Cocó alagada. No fim da tarde de sábado, como de costume, ele percorreu o caminho todo sem problemas. No domingo de manhã, a paisagem é outra. A chuva da madrugada fez o rio e a lagoa transbordare m e a trilha virou um lamaçal. Mais para frente, a água bate na canela. “Nessa época de inverno a natureza fica mais latente, mas as trilhas ficam mais difíceis”, diz Ricardo, dando meia volta para fazer outra das quatro trilhas do parque.

Antes das chuvas chegarem, a gerência ainda mandou colocar dez centímetros de pó de pedra e areia para reforçar as trilhas, mas é inevitável que as águas encharquem o chão, especialmente o da trilha principal, localizada entre o rio e lagoa. Os monitores orientam os visitantes sobre as condições das trilhas e apontam as mais secas do dia. Sempre tem um caminho bom para observar a pulsação do mangue com a chegada do período chuvoso. Até o cheiro do ar é diferente. As fruteiras em flores exalam um perfume delicado.

“O mangue trabalha com uma força fora do comum durante as chuvas. As sementes que caíram no verão estão só esperando para germinar. É rápido. A planta quer criar logo folha e força para quando o sol sair, já ter ‘pegado’”, explica o gerente do parque, Tarcísio Prata. As sementes já caem abertas e estão espalhadas pelo chão, nas margens do caminho. Olhando mais de perto se consegue ver a raiz pronta para germinar. Nas áreas de inundação, espaços que costumam ser apenas u ma “laminha” no tempo seco, viram espelhos d’água.

A água em abundância desperta os pequenos moluscos que ficam hibernando no verão. Durante as chuvas, eles se reproduzem e garantem a alimentação dos pássaros no tempo seco. “O engraçado é que o perfil das pessoas que vêm muda um pouco nessa época. Vem mais gente jovem, aventureira. Os idosos vêm menos”, diz Tarcísio. Em 2008, 76 mil pessoas passaram pelas trilhas do Parque Ecológico do Cocó. De 6h às 17 horas, o policiamento é intenso. “Temos o bastante para manter a segurança. Policiais de moto e bicicleta e nos pontos de observação”, confirma o Subtenente Araújo, da Companhia da Polícia Militar Ambiental (CPMA).

E vá lá e confira ao vivo, no póprio Parque. Vale a pena sentir a natureza.

Para qualquer informação sobre o funcionamento do parque ou para agendar visitas, ligue para 3101.5550 ou 3271.6589

2 comentários:

Jade disse...

Nossa! Muito util esse bog!
Muito mesmo!
Vc devia divulgar mais... entrei aqui por acaso do acaso..


Imagino quantas pessoas esse blog informaria se elas soubessem deles!


Parabens viu!

larissa disse...

Parabéns pelo Seu Blog!
Fiz um video baseado no que você postou nesse blog pro colégio Ari de Sá Cavalcante, onde estudo. Se houver interesse de sua parte pelo vídeo, responda-me por email: larissa_regis123@hotmail.com